II Dia da 4ª Edição do Festival de Literatura Mundo do Sal | Resumo



Mesa B - ORALIDADES CABO-VERDIANAS

Qual é a relação entre expressão oral e identidade crioula cabo- verdiana? As tradições de música e dança de Cabo Verde valorizam esta relação como uma dádiva da africanidade ao mundo moderno? E na prática da tradução, sobretudo na tradução cénica, que significado ganha a escrita numa cultura cuja forma de comunicação é mormente oral?


- A oralidade do crioulo: entre inovação e tradição – Clara Silva

- Oralidade em tradução: o caso da crioulização cénica – Hélder Lopes


Galeria


MESA B - ORALIDADES CABO-VERDIANAS


MESA 1 - REFLEXÕES E DEBATES - VOZES E MARGENS


O exercício de fazer uma antologia assemelha-se ao de uma playlist. 

Há quem diga que é exercitar o cânone. O que o levaria a escolher 10 autores (entre géneros, origens e tempos diferentes) para uma hipotética antologia? Em que medida, os fatores tempo, espaço e estilos são postos aqui em transposição no momento do exercício antológico?

E as vozes que ficam nas margens?

Afonso Reis Cabral – Evel Rocha – João Branco – Márcia Souto (mediadora)


MESA 1 - REFLEXÕES E DEBATES - VOZES E MARGENS

Galeria - MESA 1 - REFLEXÕES E DEBATES - VOZES E MARGENS